Gênero e o papel da escola na atualidade: algumas reflexões sobre as percepções de uma amostra ...

 

RESULTADO DE INVESTIGACIÓN: Tesis de maestría: “El género y el papel de la escuela en la actualidad: algunas reflexiones sobre las percepciones de una muestra de alumnos de enseñanza fundamental”-Maestría en Enseñanza de las Ciencias y Educación Matemática, Grupo de investigación Filosofía e Historia de la Ciencia, Educación en Ciencias y Matemáticas IFHIECEM, Universidad Estatal de Londrina UEL, Londrina PR, Brasil

 

Resumo:*


Desde seu nascimento o ser humano é fortemente influenciado pelo contexto social onde está inserido. Desde a sua mais tenra idade ele é educado a partir das características do sexo anatômico que foi constatado ao nascer, de conformidade com o ambiente ao qual ele faz parte, de acordo com os usos e costumes vivenciados e construídos pelos os que o precederam. Tais representações moldarão e formarão o indivíduo como portador do gênero feminino ou do gênero masculino. Diante dessas construções algumas questões emergem: Por que tratar os temas relacionados a gênero e sexualidade no ambiente escolar? Quais disciplinas estão mais qualificadas para trabalhar com essa temática? Como educar meninos e meninas para a igualdade de direitos e oportunidades? Os dados que aqui serão apresentados fazem parte da pesquisa de uma dissertação de Mestrado em andamento, cuja pesquisadora é integrante do Grupo de Pesquisa Ifhiecem (Investigações em Filosofia e História da Ciência Educação em Ciências e Matemática) da Universidade Estadual de Londrina, que conta com o financiamento do CNPQ.


Palavras- chave: Gênero; educação científica.



Abstract:


From his birth the human being is strongly influenced by the social context where it is inserted. From his the most tender age he is educated from the characteristics of the anatomical sex that was noted while being born, of agreement with the environment to which it links it makes part, in accordance with the uses and customs survived and built because they preceded it. Such representations will mould and form the individual like bearer of the feminine type or of the masculine type. Before these constructions some questions surface: Because to treat the subjects made a list of to type and sexuality in the school environment? Which disciplines are more qualified to work with this theme? How it will educate boys and girls for the equality of rights and opportunities? The data that here will be presented make part of the inquiry of a dissertation of Master's degree in progress, which investigator is an integrant of the Group of Inquiry Ifhiecem (Investigations in Philosophy and History of the Science, Education in Sciences and Mathematics) of the State University of Londoner, who disposes of the financing of the CNPQ.


Keywords: gender, scientific education



Introdução


O ser humano, desde o início da história da humanidade é fortemente influenciado pelo contexto social onde está inserido. A partir da mais tenra idade os indivíduos aprendem – ou reproduzem – a ocupar e a reconhecer seus lugares sociais, por meio de situações e estratégias até mesmo sutis, que com o tempo, passam a ser encaradas como “naturalizadas”, e, consequentemente, “por vezes, muito difíceis de reconhecer” (MEYER, 2003). A partir do momento em que é divulgado à mãe, ao pai e demais familiares o resultado do exame de ultrassom para se verificar o sexo do bebê, o lugar que a criança ocupará passa a ser planejado, conforme o ambiente do qual ela faz parte, de acordo com os usos e costumes vivenciados e construídos pelos os que a precederam. Cada criança será educada partindo-se das características do sexo anatômico que ela apresentou ao nascer:


Na concepção de muitos, o corpo é “dado” ao nascer; ele é um legado que carrega “naturalmente” certas características, que traz uma determinada forma, que possui algumas “marcas” distintivas. Para outros, no entanto, é impossível separar as duas dimensões. Nessa perspectiva, o corpo não é “dado”, mas sim produzido – cultural e discursivamente – e, nesse processo, ele adquire as “marcas” da cultura, tornando-se distinto (LOURO, 2000, p. 61).


A construção social do sexo anatômico está relacionada ao gênero. “Cada pessoa se encontra já imersa em estruturas narrativas que lhe pré-existem e em função das quais constrói e organiza de um modo particular sua experiência, impõe-lhe um significado” (LARROSSA, 1999, p. 70). Tais representações vão moldar e formar o indivíduo como portador do gênero feminino ou do gênero masculino.


Diante dessas construções algumas questões emergem: o que é gênero? Por que tratar os temas relacionados a gênero e sexualidade no ambiente escolar? Quais filiações ou traços epistemológicos estão inseridos numa abordagem dessa natureza? Quais disciplinas estão mais qualificadas para trabalhar com essa temática? Como educar meninos e meninas para a igualdade de direitos e oportunidades?



Continua...


Nota: No se incluye el texto completo por su extensión, el lector puede solicitar el documento desde la página principal (parte inferior), a través de los siguientes enlaces: CONTACTO / PUBLICA ENVÍAME TU TEXTO


*Texto tomado del Archivo Documental “Cuerpos, sociedades e instituciones a partir de la última década del Siglo XX en Colombia”. Mallarino, C. (2011 – 2016). Tesis doctoral. DIE / UPN-Univalle.


El autor Universidad Estatal de Londrina UEL, Londrina PR, Brasil - Maestranda en Enseñanza de las Ciencias y Educación Matemática - integrante del Grupo de investigación Filosofía e Historia de la Ciencia, Educación en Ciencias y Matemáticas IFHIECEM / aszuen@hotmail.com

Entradas Destacadas